Consumismo no Brasil: é benéfico para as empresas?

Estamos vivendo em um momento totalmente atípico e essa pauta já foi amplamente abordada sob diferente óticas, inclusive em relação ao consumismo no Brasil. Será que o aumento das vendas é um fator regional? Quais os impactos dessa atitude? Como as empresas devem se posicionar em relação a esse tema? Confira nossa reflexão no conteúdo de hoje.

Consumismo no Brasil é diferente dos demais países?


Tendo em vistas as pesquisas realizadas, a pandemia influenciou muito no aumento do volume de compras online. Tal fenômeno aconteceu mundialmente e pode ser explicado por alguns fatores. O principal aspecto está relacionado à saúde mental. As pessoas se sentiram muito sozinhas durante o período. Além disso, não existiam muitas opções de entretenimento. Esses dois fatores foram cruciais para que os indivíduos finalizem as compras inseridas no carrinho a fim de ter uma descarga de dopamina.

O consumismo é sempre negativo?


Se levarmos em consideração a saúde financeira das pessoas e o aspecto ambiental, o consumismo é extremamente negativo. Ao falarmos consumismo no Brasil esses dois fatores ficam ainda mais enfatizados. Brasileiro não tem o hábito de poupar para o futuro e não recebe, desde criança, os ensinamentos básicos de finanças pessoais.  Além disso, ainda não temos, em nossa cultura, a preocupação com o meio ambiente como algo enraizado. Atitudes simples, como não jogar o lixo na rua, ainda acontecem com muita frequência e isso fica evidente em épocas chuvosas quando as enchentes tomam conta de diversos locais.
O único aspecto positivo do consumismo diz respeito à procura por evolução. O ser humano entende que criar algo é deixar um legado para a sociedade e isso motiva grandes feitos evolutivos. Entretanto, o “criar” desenfreado pode causar o fim da nossa espécie. Não é só a emissão de carbono ou aquecimento global, nossas atitudes podem mudar as características da Terra, tornando-a inabitável para nossa espécie.

“No longo prazo, um aumento sustentado da massa antropogênica levaria à perda de habitats por meio de deslocamento físico e alteração de habitats, como contaminação por poluentes resultantes da produção e descarte de massa antropogênica”, diz Alessandra Loria, bióloga da Universidade McGill (fonte: BBC).


Como as empresas devem se posicionar sobre esse tema?


Tendo em vista que o consumismo no Brasil pode ser até mais danoso do que nos demais países, é importante que as empresas tenham atitudes assertivas em prol da sociedade. Atualmente, não basta ter um bom produto/serviço e se comunicar bem, as marcas, para se destacarem, precisam – de alguma forma – fazer a diferença na sociedade. O consumidor espera que as corporações não pensem apenas no lucro, mas que visem um bem maior, ajudando a comunidade em que estão inseridas de alguma forma.

No caso do consumismo, talvez fosse interessante em pensar em minimizar a emissão de carbono ou trabalhar com produções sustentáveis e incentivar o consumo consciente.

Precisa de ajuda para implementar uma estratégia de marketing que ajude a sua empresa a se posicionar da melhor maneira possível? Basta enviar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br

Leave A Comment