Propaganda enganosa: o que caracteriza?

Propaganda enganosa, infelizmente, ainda é muito comum no cenário brasileiro. Como identificar as características que definem essa prática? Como evitar erros? Como chamar a atenção do consumidor sem ferir a ética? Confira nossa reflexão no conteúdo de hoje.


O que é propaganda enganosa?


Grosso modo, trata-se de apresentar produtos ou serviços com informações que não são verdadeiras. Os exemplos mais comuns giram em torno dos itens “milagrosos” no processo de emagrecimento. Gel que seca barriga, máquina que faz o exercício pela pessoa, pílula que faz perder muitos quilos em pouco tempo, entre outros. Esse tipo de produto, quando não é descrito com termos como “ajuda no processo de emagrecimento” e reforçado pelo fato de que é necessária uma mudança de hábitos para ter resultado pode estar praticando propaganda enganosa.
Entretanto, eles não são os únicos vilãos nesse aspecto. Existe postos de gasolina que citam que o combustível é 100% confiável ou tem determinada origem e que também não estão falando a verdade.
Mentir para o consumidor – em qualquer instância – é propaganda enganosa.


Como evitar esse tipo de erro?

Algumas marcas podem criar uma propaganda enganosa “sem querer”, sem a intenção de prejudicar o potencial cliente. Para evitar esse tipo de problema, é essencial estar totalmente por dentro das regras do CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) e do CDC (Código de Defesa do Consumidor).
As equipes de planejamento e criativa precisam compreender o que pode ser dito sem incitar o cliente ao erro. Além disso, mesmo com atenção às regras, após a publicação da publicidade, é interessante atentar-se à resposta do público. Como estão as mensagens nas redes sociais e demais canais de contato? Se ainda há certa ambiguidade na mensagem, o ideal é tirar a propaganda do ar e formatar um novo conteúdo.


Como chamar a atenção sem ferir a ética?

Reforçar as características positivas do produto ou serviço – mesmo que de maneira exagerada – não é uma prática antiética. As marcas podem (e devem) ter muita clareza de quais aspectos do item que está sendo vendido que “brilham os olhos” do cliente. O que torna aquele produto/serviço irresistível? Tendo isso em vista, trace o copy e a arte focando nesses aspectos. Desta forma, a empresa estará chamando a atenção do consumidor da maneira correta.

Precisa de ajuda para reforçar os aspectos positivos do seu produto e/ou serviço? Basta mandar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br

Leave A Comment