Privacidade na internet: anúncios direcionados ferem os direitos das pessoas?

Você está falando sobre sua vontade de comer chocolate, abre o Instagram e pronto: anúncio de uma marca de chocolate ou algum doce. A rede social leu seu pensamento? É claro que não! Você pode ter postado ou pesquisado algo relacionado a doce ou – pior – estão com acesso ao seu microfone e o algoritmo está “anotando” tudo o que você gosta.
Será que realizar anúncios direcionados por perfil é uma maneira de ferir a privacidade na internet? Refletimos sobre o tema no artigo de hoje.

Privacidade na internet, isso existe?

Difícil falar privacidade e internet na mesma frase. Quase tudo que fazemos online pode ser rastreado. Os sites possuem cookies, arquivos que armazenam nossas informações e servem para configurar nosso perfil de acordo com o que buscamos. Nas redes sociais, cadastramos nossos dados pessoais, publicamos os lugares que vamos e postamos sobre temas que nos interessamos.

Tudo o que fazemos de forma gratuita é, na verdade, pago com nossos dados, nossas informações. Nossos dados, hoje, são uma moeda bem valorizada. Por meio deles, as empresas são capazes de nos conhecer muito bem e adequar campanhas, produtos e serviços.

 

Então, isso é negativo?

Depende do ponto de vista. Talvez seja legal receber informações direcionadas, anúncios que sejam totalmente alinhados com seu gosto. Afinal, se você estiver procurando aquele item, vai agradecer de ter várias opções à sua disposição.

Do lado do consumidor, caso ele queira manter sua privacidade na internet, é interessante evitar publicações excessivas nas redes sociais, limpar o cachê para não armazenar cookies e, de preferência, pesquisar com uma aba anônima.

Do lado das empresas, é importante ter bom senso. Realizar anúncios de mídia programática, com conteúdo totalmente segmentado e impulsionando para o público bem direcionado é excelente para os negócios, mas prestar atenção em como formula essa comunicação é essencial.

Em nosso texto sobre Comunicação empresarial detalhamos alguns itens que devem ser levados em consideração.  Em resumo, as organizações devem ser éticas e, além de terem uma comunicação positiva, não devem comprar base de contatos. Existem diversas maneiras bem mais interessantes (e assertivas) de captar leads.

Precisa de ajudar para formatar uma estratégia de anúncio que seja ética e eficaz? Fale conosco! Basta enviar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br

Leave A Comment