Influenciadores Digitais: como utilizá-los da melhor maneira?

O mercado de influenciadores digitais teve um crescimento expressivo esse ano. As marcas aumentaram, consideravelmente, o investimento nesse tipo de parceria. A questão é: a estratégia usada é a mais correta? Quais são as métricas utilizadas? Confira a análise no artigo de hoje.

O que são influenciadores digitais?

Trata-se de um termo bem novo e está relacionado às “web-celebridades”. Os famosos criadores de conteúdo para Youtube e Instagram, por exemplo. Essas pessoas são chamadas de “influenciadoras” porque podem – literalmente – influenciar seu público por meio das suas postagens. Uma pessoa que publica sua rotina de treinos pode inspirar seus seguidores a ir mais à academia, comer de maneira mais saudável e etc.

Como as marcas devem usar os influenciadores digitais?

Existem três maneiras de usar um influenciador digital: Ativação, Campanha e Embaixadores. A ativação é uma inserção pontual. Participação em algum vídeo, um post patrocinado ou presença em algum evento. A campanha contempla ações durante um período específico focando em algum objetivo. Já no caso de embaixadores, é criado um relacionamento com esse influenciador.

Qual a forma correta de usar o influenciador?

Não existe uma única resposta, pois tudo dependerá do objetivo da empresa. O importante é mesclar o uso pensando no topo, meio e final de funil. Por exemplo, para divulgar um lançamento específico, é possível fazer uma ativação. Agora, se a ideia é aumentar o awareness de marca, talvez seja mais interessante fazer uma campanha. Por fim, se você quiser, de fato, associar as características do influenciador a marca, é essencial que ele se torne seu embaixador.
Como o custo com um influenciador costuma ser elevado, é IMPRESCINDÍVEL que qualquer investimento, em qualquer modelo, seja feito mediante muito planejamento. Por exemplo: quer fazer para uma ativação específica, de lançamento de produto, sem problemas. Procure traçar uma tática para, de alguma maneira, captar leads desse contato.
Além disso, pesquise muito sobre esse famoso antes de fechar o contrato. Verificar a aderência dos seus seguidores com a empresa não deve ser o único ponto avaliado. Analise o tipo de conteúdo publicado, bem como o comportamento (de modo geral) desse influenciador. Se achar qualquer ponto negativo, não associe sua marca com essa pessoa!

Quando bem planejada, é uma parceria ganha-ganha

Quando uma empresa consegue achar um influenciador que preencha todos os requisitos citados acima e encontra a melhor modalidade, de acordo com seus objetivos, a parceria é totalmente ganha-ganha. Inclusive para o consumidor que estará sendo influenciado. Sabe por quê?
Veja o seguinte case real: a Growth suplementos tem uma relação duradoura com alguns bodybuilders, entre eles, o Gorgonoid. Esses atletas do fisiculturismo são embaixadores da marca e disponibilizam, em suas comunicações, um cupom de desconto para seus seguidores. A marca se associa com as características desses influenciadores, aumenta seu alcance utilizando a base de contatos deles e, com o cupom de desconto, pode aumentar sua conversão em vendas. Ou seja, nesse caso, a empresa tem duas métricas para avaliar o desempenho do influenciador: alcance e vendas.

Para o consumidor final, é positivo porque ele conhecerá marcas confiáveis (afinal, espera-se que o famoso também tomará certo cuidado ao se associar com uma marca) e ainda pagará mais barato ao comprar algum produto.

Por fim, para o influenciador, é positivo porque ele conquistará uma verba de patrocínio e poderá comprovar, por meio das métricas citadas acima, sua eficácia de comunicação, tornando a relação com a marca mais duradoura.

Precisa de ajuda para implementar uma estratégia de influenciadores em sua empresa? Conte conosco! Basta enviar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br

 

 

Leave A Comment