Marketing viral: o que é e como fazer?

O termo Marketing viral tem sido cada vez mais utilizado. Muitas pessoas não entendem bem o conceito, mas compreendem que “viralizar” pode ser positivo para o negócio.
Quer entender como criar viral que seja positivo para sua empresa? Leia nosso artigo de hoje.

O que é Marketing viral?

Simplificando, trata-se do termo utilizado para conteúdos que, ao serem criados, atingem – de forma orgânica – um número expressivo de pessoas. Ainda nesse artigo daremos exemplos de materiais que foram criados por empresas e foram muito compartilhados. Alguns desses conteúdos, inclusive, nem pareciam ser provenientes de ações publicitárias.

Por que é o Marketing viral é importante?

Com essa estratégia, a organização consegue espalhar sua mensagem com um custo baixíssimo. O público é a própria mídia difusora.
Por essa razão, muitas organizações se esforçam para conseguir criar um viral. Entretanto, já explicamos em nosso canal (clique aqui para assistir) que nem sempre viralizar é positivo.
Para obter os resultados desejamos é preciso planejar e alinhar a execução com os objetivos e posicionamento da empresa.

Como viralizar?

Criar um viral não é uma tarefa simples, mas, segundo especialistas, há uma lógica por trás de todos os compartilhamentos em massa. Vamos pensar no público que queremos atingir.
Qual a condição para aquele individuo compartilhar uma mensagem?

Pelo que é possível perceber, as pessoas costumam compartilhar:

  • itens engraçados ou divertidos;
  • peças que sejam surpreendentes ou diferenciadas;
  • conteúdos emotivos ou dramáticos;
  • informações muito úteis/relevantes;
  • mensagens provocantes ou constrangedoras;
  • elementos fofos;
  • materiais que fazem pensar ou que transmitam valores/crenças.

É importante que o conteúdo criado tenha um caráter exclusividade, para que, assim a viralização tenha mais impacto. Além disso, reforçar o compartilhamento com um call-to-action (por exemplo: você não acha que todos deveriam receber essa informação também? Então compartilhe!) também pode ajudar no pontapé inicial.

 

Por que as pessoas compartilham esses conteúdos?

Somos seres sociais, dependentes da convivência em grupo. Nesse sentido, vamos compartilhar tudo aquilo que nos ajude a nos conectar com as outras pessoas. Tal conexão pode ser tanto com emoções positivas (como com itens engraçados e elementos fofos), quanto com emoções negativas (compartilhando mensagens constrangedoras, como de uma pessoa sendo torturada ou algo do tipo).

Compartilhamos porque sabemos das emoções (positivas/negativas) em comum que tal conteúdo gerará. Isso gera intimidade e cria conexão!

Exemplos


The cliché (Heinekein)
A ação é bem surpreendente, além de emocional e engraçada. Ela questiona o clichê que mulher não gosta de futebol e envolve as pessoas com a história, fazendo com que as pessoas se identifiquem.

Perdi meu amor na balada (Nokia)
Uma história bem construída e bem emocional, que também criou conexão com o público.

Pôneis Malditos (Nissan)
Por meio do humor, a marca usou um termo conhecido do mundo automobilístico (cavalos) e mostrou o aspecto negativo de carros com baixa potência. A musiquinha chiclete é um detalhe à parte.

Precisa de ajuda para estruturar uma campanha que atinja muitas pessoas? Fale conosco! 🙂
Basta enviar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br

Leave A Comment