Preço de venda: como definir e como interfere na divulgação?

Preço de venda é parte crucial do sucesso do negócio. Afinal, sem lucro, nenhuma empresa sobrevive. Não é mesmo? Então, como definir a estratégia de precificação? Confira as dicas no artigo de hoje aqui da EntreLinhas Marketing.

O que considerar no preço de venda?

Existem alguns itens que devem ser contabilizados no momento da precificação:

  1. Custos fixos
    É preciso pagar aluguel para armazenar algo? Quais são as despesas que a empresa tem todo mês? Existe algum tipo de material que é utilizado em todos os produtos criados? É preciso terceirizar alguma etapa, qual o custo disso? Enumere todos os itens que – mensalmente – devem ser adquiridos para que a organização possa realizar suas entregas de serviço e/ou produtos.
  2. Custos variáveis
    Determinados valores estarão atrelados a apenas alguns itens que são produzidos, envolvidos com apenas algumas vendas. São os chamados custos variáveis. Eles também deverão ser contabilizados no preço de venda.
  3. Tempo de produção/atendimento

Além de fatores relacionados a materiais, existe – obviamente – o tempo que cada profissional precisa empregar na execução de determinado produto e/ou serviço. Além disso, existe o tempo que será empregado para entender as necessidades do cliente, realizar ajustes e etc. Tudo isso precisa ser contabilizado. Faça uma estimativa de horas e defina o valor da sua hora pelo valor que pretende ganhar no mês dividido pela quantidade de horas que irá trabalhar. Por exemplo, se você pretende ganhar R$ 5 mil e irá trabalhar 8 horas por dia útil: R$ 5000/190 = R$ 26,31. Sua hora custará R$ 26,31. No cálculo das horas é importante sempre acrescentar um tempinho extra porque podem acontecer imprevistos.

 

Então, como calcular o preço de venda?

Vamos super que você tenha um ateliê e venda quadros personalizados. Seguem os itens a serem considerados na sua precificação:
– Em cada quadro, você demora, aproximadamente, 4 horas. Quanto você gostaria de ganhar ao final do mês? Quantas horas pretende se dedicar apenas ao ateliê? Faça essa conta para definir o valor da sua hora. Depois disso, multiplique ela por 4.
– Você usará pincel, tintas de várias cores e tela para pintura. Um pincel e as tintas podem ser usados diversas vezes. Quantos quadros você consegue fazer com esses mesmos itens? É preciso ter ideia disso para inserir o valor correto desse custo. Se forem usados apetrechos específicos nessa criação (como lantejoulas e etc.), você pode adicionar como custo variável.
– Você não alugou um espaço próprio para isso, pois montou o ateliê na garagem da sua casa. Mesmo sendo em casa, é importante contabilizar custos atrelados a criação desse quadro, como água e luz.

Somando todos esses itens mais a porcentagem que você gostaria de ter de lucro você chegará a o seu preço de venda.

(Claro que isso é apenas uma estimativa, se forem usados mais materiais ou o cenário do ateliê seja diferente, mais itens deverão ser contabilizados, mas isso é apenas um norte para te ajudar na formação do preço de venda.)

Como o preço de venda interfere na divulgação?

Como dissemos antes, é essencial que você avalie a sua precificação com a da concorrência. Não será seu concorrente que definirá o valor do que você vende, mas ajudará nortear o seu preço. Se você estiver muito acima, você deverá evidenciar seus diferenciais para o cliente, construindo sua marca e gerando valor na venda.

Precisa de ajuda para divulgar seu trabalho e construir sua marca de forma satisfatória? Fale com a EntreLinhas Marketing! Temos pacotes que atendem suas necessidades e cabem no seu bolso.

Leave A Comment