Marketing esportivo: o que é e como fazer?

Em períodos em que o esporte fica evidente, como Copa do Mundo e Olimpíadas, o assunto Marketing esportivo é bastante enaltecido, entretanto, essa estratégia é muito eficaz em diferentes contextos. Quer entender melhor o que é, como funciona, qual sua importância e como aplicá-la? Leia esse artigo da EntreLinhas Marketing até o final.

 

Marketing esportivo: o que é?

Trata-se do marketing atrelado ao esporte, como o próprio nome já diz. Ele ocorre quando alguma empresa se relaciona sua marca com algum clube ou atleta e impacta os seus torcedores.

 

Como fazer Marketing esportivo?

Existem algumas maneiras de uma marca atrelar seu nome a determinado esporte/atleta.
É possível, por exemplo:
– patrocinar o time ou o atleta. Existem diversas possibilidades de patrocínio e valores distintos para cada uma delas, mas, basicamente, a marca fornece dinheiro para o time/atleta em troca de anúncio (seja em camisetas, seja em banners durante o evento e etc);
– licenciar produtos, ou seja, vender itens com a imagem daquele atleta ou clube;
– patrocinar eventos esportivos. Nesse caso, é possível tanto criar um evento relacionado a determinado esporte ou fornecer suporte financeiro em algum evento que já exista. Dentro da segunda opção, dependendo do aporte financeiro, é possível criar uma área da empresa/marca no evento, aumentando a conexão com o público.

Qual a importância do Marketing esportivo?

No esporte lidamos diretamente com as emoções. Um torcedor gosta e torce para determinado time por motivos quase que irracionais. O traço de afetividade é gigantesco e isso pode ser estendido à marca patrocinadora, quando o marketing esportivo é feito de maneira correta.

Além disso, as características positivas atreladas ao atleta/modalidade esportiva, como garra, superação, vitórias são, de certa forma, transferidas às empresas que estiverem atreladas. Por isso, é extremamente importante ter um olhar bastante atento ao histórico daquele time e atleta antes de investir, pois os aspectos negativos também podem ser transferidos. Em outras palavras, se o atleta patrocinado for pego em doping, por exemplo, a imagem de desonestidade pode ser transferida (de maneira irracional) à empresa que investiu nele.

Fases em que o time não está conquistando muitas vitórias também há uma queda nos contratos de patrocínio, afinal, nenhuma empresa quer ficar atrelada a derrotas, resultados negativos. Entretanto, ao emplacar resultados positivos, as marcas patrocinadoras se beneficiam muito das vitórias. Demos um exemplo disso na live dessa semana que comentamos sobre a contratação do jogador Daniel Alves no SPFC.

Precisa de ajuda para implementar uma estratégia de Marketing Esportivo na sua empresa? Conte com a EntreLinhas Marketing.
Basta enviar um email para contato@entrelinhasmarketing.com.br que enviaremos mais informações. 😉

Leave A Comment